BLOG POST

internet  |  24 de novembro de 2017



internet no campo

Internet no campo. O agronegócio está cada vez mais digital.

Ainda não é o cenário ideal, mas estamos avançando rapidamente na direção de um campo conectado com o futuro. Novas ferramentas surgem todos os dias e muitas delas estão disponíveis gratuitamente para quem está conectado à rede mundial de computadores. Alguns exemplos são a previsão do tempo e a cotação on-line dos preços dos grãos e da carne. Um simples clique e o produtor tem nas mãos informações preciosas que auxiliam em decisões que podem interferir no aumento da produtividade, na prevenção de perdas ou até na maior lucratividade na hora da venda. Mas muitas outras possibilidades estão acessíveis. Já existem aplicativos que permitem gerenciar a produção a distância. O produtor conectado pode ainda pesquisar os preços dos insumos de diversos fornecedores, obter informações sobre pesquisas realizadas por órgãos como a Embrapa, além de ter acesso às experiências compartilhadas por outros produtores. É um universo que tende ao infinito.

O dia a dia no campo está mudando também na sua rotina, que agora tem menos interrupções, pois algumas tarefas simples, como consultar o saldo bancário ou pagar uma conta, podem ser feitos em poucos minutos via internet. Em muitos casos, isso significaria perda de horas em um deslocamento até o centro urbano mais próximo da propriedade. Além de tempo, economiza-se também combustível.

Outra mudança, essa talvez a que mereça mais destaque, está na forma de comunicação. A troca de mensagens via aplicativos é a preferida, tanto entre funcionários de uma mesma propriedade, quanto entre produtor e fornecedores, como médicos veterinários, por exemplo. Às vezes uma foto feita e enviada na mesma hora possibilita um tratamento preventivo até a chegada do veterinário ou, em casos mais simples, dispensa a presença dele. É muito mais agilidade. E como em todo o mundo dos negócios, também no campo tempo é dinheiro.

Uma informação relevante que merece destaque diz respeito às preferências dos produtores rurais. O smartphone é a escolha de 64% deles e o WhatsApp, preferido por 96%.

Mas, como falamos lá no início do texto, o cenário ideal ainda não é uma realidade. A maior deficiência é, na verdade, o ponto mais sensível: o acesso à internet. De nada adianta ter tantas ferramentas ao alcance da mão se não é possível acessá-las. E isso acontece porque as tecnologias mais usadas no país, como DSL ou cabo, são inviáveis para regiões mais remotas e, além delas, os sinais 3G ou 4G também não vão tão longe e quando vão perdem muita potência. O que deve mudar essa realidade é o serviço de internet via satélite: o único que chega aonde todos esses outros não chegam. Muitos produtores já adotaram essa tecnologia e se mostram satisfeitos com os resultados. É uma boa notícia que deve ser comemorada.

Em breve, o campo deverá, de fato, estar totalmente conectado com essa nova realidade.

Confira mais em: Como funciona a internet via satélite

Fontes: Folha de S.Paulo, TecMundo, Revista Da Fruta, G1

Assuntos que também são interessantes para você =D


« Voltar

Comentários