BLOG POST

12 de abril de 2022




Diferenças entre inversor e microinversor

Quando começamos a pesquisar sobre energia solar, nos deparamos com vários termos que podem causar confusão. Uma dúvida que sempre surge é: qual a diferença entre inversor e microinversor? Continue lendo para saber!

Os dois equipamentos possuem a mesma finalidade, converter a corrente contínua oriunda dos módulos em corrente alternada e enviá-la a rede elétrica. Porém, o método de instalação dos dois equipamentos se diferem em alguns pontos.

Os inversores string são mais velhos. Seu nome vem de uma característica de instalação dos módulos fotovoltaicos que é a associação em série dos módulos. Nesta associação, se conecta o positivo de um módulo ao negativo de outro para gerar um arranjo (ou string) de módulos ao ponto onde a tensão resultante seja elevada e o algoritmo de rastreio de máxima potência do inversor consiga fazer a extração otimizada de energia.

Os microinversores são mais recentes. Seu nome remete ao tamanho do equipamento comparado aos inversores do tipo string, onde houve uma redução significativa de tamanho e peso, proporcionando a instalação do equipamento no telhado. No microinversor os módulos são conectados diretamente ao equipamento, proporcionando entradas individualizadas por módulo.

As vantagens de um inversor string são: sua robustez, manutenção e ambiente de alocação do equipamento. Os inversores dispõem de uma eletrônica sofisticada para funcionamento adequado e nesse quesito os inversores string possuem vantagem pois em sua construção é possível projetar uma estrutura de dissipação térmica otimizada, elevando o tempo de vida dos inversores. Sua manutenção leva vantagem sobre os microinversores, pois não há a necessidade do técnico subir ao telhado para manutenção do equipamento. E, em regiões quentes, o inversor possuirá melhor rendimento pois não está exposto diretamente ao sol.

A desvantagem do inversor string é a manutenção dos arranjos de módulos fotovoltaicos. Quando, em uma associação em série de módulos, algum módulo sofre algum tipo de efeito que afete sua geração, todos os outros módulos serão limitados a potência do módulo afetado. Fazendo com que a energia gerada seja diminuída.

As vantagens do microinversor são: sua praticidade de instalação e otimização do sistema. O microinversor é mais leve e compacto, fácil de carregar e subir ao telhado. Sua instalação não requer passagens de cabos com altas tensões e pode ser facilmente instalado nos trilhos dos módulos fotovoltaicos. Por possuir entradas individualizadas, teremos menos perdas com fenômenos que afetam a geração dos módulos do que com inversores string, podendo, inclusive, instalar módulos em orientações diferentes. Ao ter sua geração afetada, o módulo em questão não irá afetar a geração dos outros módulos pois suas entradas estão individualizadas.

As desvantagens do microinversor são sua exposição a um ambiente quente e a dificuldade na manutenção. A exposição ao sol, mesmo que sob os módulos fotovoltaicos, eleva a temperatura de trabalho do microinversor podendo comprometer o tempo de vida útil dos componentes eletrônicos. Sua manutenção também requer um trabalho extra, pois o instalador deverá subir ao telhado para verificar o status dos dispositivos caso o sistema de monitoramento acuse alguma falha.

Para escolher o melhor sistema para sua casa é necessário consultar o engenheiro projetista para levantar os prós e contras do local a ser instalado. Com a Elsys você conta com um time de engenheiros para o suporte pré-vendas para a orientação adequada ao cliente.

 


« Voltar




Receba nossos conteúdos gratuitamente!

Não te mandaremos spam!

Pin It on Pinterest