BLOG POST

Apagão Analógico  |   Televisão  |  28 de julho de 2017



Como descartar corretamente as TVs mais antigas

Dicas para o descarte certo de TVs antigas

Como descartar corretamente as TVs mais antigas

Já foi amplamente divulgado, mas nunca é demais ressaltar: o sinal analógico de televisão, desligado no estado de São Paulo no dia 29 de março deste ano, deverá terminar, também em 2017, em outros estados brasileiros, como Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás e Ceará.

E, apesar de haver a possibilidade do uso de um conversor e de uma antena para captar o sinal de forma mais estável, diversos consumidores podem pensar em descartar o aparelho fora de linha e comprar uma TV com a atual tecnologia digital. Dessa forma, alguns cuidados são importantes ao fazer o descarte de eletrônicos para que o meio ambiente não seja prejudicado.

Nos estados – citados no começo deste artigo – em que o sinal analógico deverá ser desligado até o final do ano, existem cooperativas e organizações não governamentais (ONGs) que realizam a coleta de lixo eletrônico e depois reutilizam essas peças. A maioria dessas empresas faz a retirada do equipamento do domicílio da pessoa após agendamento, sem que haja a necessidade de desmontá-lo.

Seja qual for o dispositivo, aconselha-se que o aparelho antigo esteja em seu estado original e, se possível, seja embalado apenas por plástico bolha, o que facilita o transporte. Se a TV for um modelo de tubo, é preciso atentar para os riscos de abri-la. Ainda que o televisor seja desligado da tomada, há o risco de choque, pois a voltagem é alta. Por isso, não é recomendado manusear um televisor de tubo.

Quais são os riscos ao meio ambiente

Descartar um televisor de forma errada pode colocar em risco o solo, os animais e até mesmo as pessoas. Isso porque componentes como plástico, vidro e metal levam anos para se decompor, podendo causar contaminação de terrenos, além de lagoas ou rios próximos ao local de descarte. Até a fauna da região pode ser prejudicada: os animais silvestres que vivem na área podem entrar em contato com os materiais, ferir-se e até perder a vida.

Outro grande perigo ao se desfazer de um eletrônico junto com o lixo normal é o risco de contaminação das pessoas que realizam coletas em aterros sanitários ou lixões, tornando-as suscetíveis a doenças graves. O problema mais comum é o contato com chumbo e mercúrio, substâncias que oferecem risco à saúde e podem ser encontradas em componentes dos televisores.

Outra forma de descarte

Existem algumas empresas fabricantes de televisores que também aceitam aparelhos antigos para fazer o processo de reciclagem dos materiais. Nesse caso, o interessado pode entrar em contato com o SAC da empresa fabricante do aparelho para mais informações sobre a coleta de lixo eletrônico na região onde mora.

Fonte: TechTudo

Assuntos que também são interessantes para você =D


« Voltar

Comentários