BLOG POST

Satélites  |   Sinal Digital  |   TV Digital  |  30 de setembro de 2016



Conheça o Satélite SES com propulsão elétrica

Conheça o Satélite SES com propulsão elétrica

Gigante no ramo de satélites, a SES inova e pretende lançar já em 2017 seu novo modelo, o SES-14 com propulsão elétrica.

Ainda no começo deste ano, a SES SA, uma das principais companhias internacionais de operação de satélite de telecomunicações, anunciou que pretende lançar seu novo modelo de satélite com funcionamento feito a partir de propulsão elétrica, o Satélite SES-14, já no ano de 2017.

O principal diferencial do modelo é o funcionamento feito a partir de propulsão elétrica, uma novidade que ainda não faz parte de qualquer modelo funcional já existente. A tecnologia de propulsão elétrica do Satélite SES-14 beneficia em diferentes frentes. Uma das vantagens é a diminuição da massa total do satélite, permitindo que os custos de lançamento sejam reduzidos.

A redução dos custos na utilização da propulsão elétrica é significativa, chegando a cerca de 40% de economia durante o lançamento do foguete com trajetória espacial até que o Satélite SES-14 chegue em sua órbita geoestacionária.

Para entender como funciona essa economia é notável compreender qual tecnologia de propulsão elétrica, já utilizada pela própria SES desde 1998 para manter os satélites geoestacionados, agora é direcionado para realizar o papel de levar o satélite até o local.

Conheça o Satélite SES com propulsão elétrica

O impulso proporcionado pelo sistema elétrico chega a ser de quatro até oito vezes maior que a mesma quantidade de combustíveis encontrados no sistema de jatos químicos utilizados convencionalmente.

Além desta economia, o Satélite SES-14 tem a vantagem de contar com duas poderosas características: a potência e a flexibilidade. Essa característica designa ao satélite o desempenho de duas funções essenciais.

No primeiro momento, o Satélite SES-14 utilizara a banda C e Ku voltada para as américas, além de um link para a Europa. Ao mesmo tempo, o satélite terá a chamada HTS, High ThroughputSatellite – Satélite de Taxa de Transferência Alta, com feixes de raio combinando processador on-board e cobertura multifeixe voltada para as Américas e o Atlântico Norte.

Isso significa que ao mesmo tempo em que o satélite cobre a necessidade criada pela crescente demanda por conteúdo DTH (Direct-to-Home) e DTC (Direct-to-Cable) advinda das Américas, ele também permanece operando e garantindo o serviço de VSAT já consolidados.

Enquanto isso, os feixes Ku e Ka realizam a transmissão de dados em alta capacidade, comumente utilizado pelas linhas de telefonia móvel, além de serviços mais específicos, como a necessidade de comunicação de marítimos e também o tráfego de dados utilizado pela aeronáutica.

Trocando em miúdos, essas duas ações realizadas pelo Satélite SES-14 fazem com que ele desempenhe o papel de dois satélites convencionais em apenas um equipamento.

O projeto de propulsão elétrica presente no Satélite SES-14 é resultado de uma parceria firmada entre a Agência Espacial Europeia (ESA), a OHB Technology, fabricante alemã de satélites e a própria SES. Tal parceria já rende outros projetos e a SES continua com seu plano de expansão mundial, ofertando novos satélites com novas tecnologias.

A empresa foi a responsável pelo lançamento do satélite SES-6, utilizado pela Oi TV, uma das operadoras de TV com maior número de canais em alta definição no mercado. A proposta é que este novo satélite SES-14 venha para suprir a crescente demanda existente nos países da América e Atlântico Norte.

Related Post


« Voltar

Comentários